VOLUME 34 - EDIÇÃO 104 Maio/ Ago - 2017

Editorial
Artigo Original

2 - Desempenho em testes psicopedagógicos e neuropsicológicos de crianças e adolescentes com dislexia do desenvolvimento e dificuldade de aprendizagem

Performance in psychopedagogical and neuropsychological tests of children and adolescents with developmental dyslexia and learning difficulties

Matheus Sant'Ana Michelino; Amanda Douat Cardoso; Patrícia Botelho da Silva; Elizeu Coutinho de Macedo

Rev. Psicopedagogia 2017;34(104):111-125

Resumo PDF Português

Os problemas encontrados durante o processo de aprendizagem constituem uma das razões mais frequentes para a procura por atendimentos por psicopedagogos, psicólogos e fonoaudiólogos. Essas dificuldades têm sido analisadas em função de dois subtipos importantes: Dificuldades de Aprendizagem (DA) e Transtornos Específicos de Aprendizagem (TEAd), sendo a Dislexia do Desenvolvimento (DD) o transtorno com maior prevalência. Dessa forma, um dos aspectos importantes da avalição diagnóstica é o estabelecimento de diagnóstico diferencial. O presente estudo teve por objetivo caracterizar perfis de crianças e adolescentes com DD e DA em testes psicopedagógicos e neuropsicológicos, e compará-los com o perfil do grupo controle. Participaram 45 crianças e adolescentes divididas em três grupos: (G1) 21 sujeitos com DD; (G2) 10 sujeitos com histórico de DA, mas sem apresentar os critérios para diagnóstico do transtorno; (G3) 14 bons leitores, utilizados como grupo controle. Avaliaram-se as seguintes habilidades cognitivas: inteligência, atenção, consciência fonológica, fluência verbal, linguagem receptivaauditiva, leitura e escrita. ANOVAs unifatoriais foram conduzidas e nos casos em que foram encontradas diferenças significativas entre os grupos, testes post hoc Bonferroni foram realizados. Os resultados apontaram que o grupo com DD apresentou maiores dificuldades em testes que avaliam a memória de trabalho e discriminação visual, além de erros específicos na leitura e escrita. Esse perfil cognitivo evidencia dificuldades específicas na leitura e nas habilidades cognitivas relacionadas a esse processo. Além disto, o estudo evidenciou a heterogeneidade do perfil de crianças com dislexia, bem como possíveis comorbidades com outros transtornos.

3 - Habilidades cognitivas de escolares do ensino público e privado: estudo comparativo de pré-competências para a aprendizagem acadêmica

Cognitives abilities of students from public and private schools: comparative study of pre-skills for academic learning

Fabiana Ribas Ferreira; Maria de Lourdes Merighi Tabaquim

Rev. Psicopedagogia 2017;34(104):126-136

Resumo PDF Português

O estudo sobre o diferencial de desempenho cognitivo de alunos de escolas públicas e privadas possibilita contribuir para a elaboração de políticas que promovam a melhoria da qualidade da educação. Ao longo dos últimos anos, a qualidade do desempenho vem decaindo, sendo atribuído tanto à instituição de ensino quanto à ineficiência do próprio estudante. As diferenças socioeconômicas e dos recursos cognitivos entre os alunos são ainda parcialmente aceitas e constituem um forte impacto no conservadorismo dos sistemas educacionais. O objetivo deste estudo foi comparar as pré-competências cognitivas para a alfabetização de escolares do ensino público e privado, com e sem fissura labiopalatina. A amostra foi composta por 66 alunos, de 4 a 7 anos de idade, ambos os sexos, matriculados no ensino infantil ou no 1º ano do fundamental, organizados em três grupos: G1, por crianças com fissura transforame, sendo 15 de escolas públicas e 5 de particulares; G2, por crianças com fissura pós-forame, sendo 14 de escolas públicas e 6 de particulares; e G3, por crianças sem anomalias craniofaciais ou outras alterações de desenvolvimento, sendo 13 de escola pública e 13 de privada. Os instrumentos utilizados foram o Teste de Habilidades e Conhecimento Pré-Alfabetização, a Escala de Maturidade Mental Columbia, Figuras Complexas de Rey e o Protocolo Demográfico Socioeconômico. Os resultados indicaram que os alunos das escolas públicas, independentemente do grupo, tiveram desempenhos mais rebaixados nas pré-competências cognitivas, e que as condições socioeconômicas desfavoráveis, associadas às limitadas oportunidades socioculturais, foram fatores indicativos de risco para o baixo desempenho evidenciado.

4 - Avaliação de habilidades preliminares de leitura e escrita no início da alfabetização

Assessment of reading and writing preliminary skills at the beginning of literacy

Talita de Cassia Batista Pazeto; Camila Barbosa Riccardi León; Alessandra Gotuzo Seabra

Rev. Psicopedagogia 2017;34(104):137-147

Resumo PDF Português

Habilidades preliminares de leitura e escrita envolvem a capacidade de reconhecimento das letras e sons do alfabeto e a capacidade de codificar e decodificar letras, sílabas ou palavras isoladas. Evidências sugerem que sua aquisição é determinante para o posterior sucesso acadêmico ao longo da educação básica, reiterando a importância da avaliação precoce. Considerando a escassez de instrumentos de avaliação nacionais, o objetivo deste estudo é apresentar e disponibilizar o Teste de Leitura e Escrita (TLE) e a Tarefa de Reconhecimento das Letras e Sons (TRLS) como alternativas padronizadas de avaliação de habilidades preliminares de leitura e escrita para crianças logo ao início da alfabetização. Participaram dessa pesquisa 90 crianças, com idade média de 4,91 anos, matriculadas no Jardim I e II de uma escola particular da região central da cidade de São Paulo. Para avaliação da linguagem escrita, foram utilizados o TLE e a TRLS. Para avaliação de habilidades de linguagem oral, foram utilizados quatro instrumentos: Prova de Consciência Fonológica por Produção Oral, Teste de Vocabulário por Imagem Peabody, Teste Infantil de Nomeação e Teste de Repetição de Palavras e Pseudopalavras. Os resultados corroboram a literatura da área, evidenciando que as habilidades de linguagem oral e escrita tendem a aumentar com a progressão escolar e que as mesmas encontram-se estatisticamente associadas intra e entre domínios. Espera-se, com este estudo, contribuir para possibilitar a avaliação e a identificação de prejuízos em habilidades preliminares em leitura e escrita no início da alfabetização e, como consequência, a introdução de intervenções em idades precoces.

5 - Avaliação de crianças com indicação de dificuldades de aprendizagem pelo instrumento NEUPSILIN-Inf

Assessment of children referred as learning disabled with the NEUPSILIN-Inf

Ariane Bizzarri Costa Pires; Adriana Nobre de Paula Simão

Rev. Psicopedagogia 2017;34(104):148-157

Resumo PDF Português

Neste trabalho serão apresentados alguns aspectos envolvidos no conceito de dificuldades de aprendizagem quanto a habilidades cognitivas e funções executivas de crianças, identificando as áreas mais afetadas em um processo de dificuldade de aprendizagem. Ressalta-se a importância de uma avaliação neuropsicológica adequada, permitindo que profissionais possam conhecer melhor a extensão do déficit cognitivo selecionando as técnicas de reabilitação. Participaram da pesquisa 21 alunos, de ambos os sexos que frequentam entre o 1º e 3º ano do Ensino Fundamental I, sendo 11 sem indicação de dificuldades de aprendizagem e dez com indicação de dificuldades de aprendizagem pelo professor. Foram encontradas diferenças estatisticamente significativas em habilidades cognitivas, entre alunos com e sem dificuldades de aprendizagem. Comparando os grupos, foi possível observar as funções mais afetadas. Foi utilizada a bateria de avaliação neuropsicológica NEUPSILIN-Inf, que avalia oito funções neuropsicológicas e o teste de raciocínio não verbal - R2.

6 - Colaboração pedagógica na ação inclusiva nas escolas regulares

Educational cooperation in action inclusive in regular schools

Claudia Gomes; Cristiane dos Reis Cardoso; Daniele Lozano; Fernanda Vilhena Mafra Bazon; Josiele Giovana de Lucca

Rev. Psicopedagogia 2017;34(104):158-168

Resumo PDF Português

Este estudo tem como objetivo discutir as ações profissionais de professores da sala regular e de professores especializados no que concerne aos postulados da educação inclusiva, tendo em vista os desafios e perspectivas para a constituição de uma prática profissional colaborativa. Para tanto, foram participantes do estudo 50 professores da rede regular e nove professores especializados. O conjunto de dados foi constituído por meio de entrevista semiestruturada, que versou sobre espaços formativos, experiências e atuação profissional na temática inclusiva, assim como a concordância e concepções sobre o tema. A análise das informações foi organizada em dois eixos: "Atuação individual e (des) comprometida na educação inclusiva" e "Necessária parceria de trabalho pedagógico para a educação inclusiva". Os resultados apontaram que, de modo geral, os professores não indicam um reconhecimento efetivo das ações educacionais inclusivas; demonstram que suas ações profissionais são embasadas em atuação individual e isolada, distante dos postulados de uma ação colaborativa; assim como mostraram concordância e concepções que se contrapõem à estruturação de novas ações profissionais. Conclui-se que a premissa da instauração de novos modelos de atuação profissional para a educação inclusiva depende do desenvolvimento do protagonismo dos docentes envolvidos neste processo, a fim de que efetivem ações profissionais atreladas aos princípios de acesso, permanência e aprendizagem a todos os alunos.

7 - Internato em psicologia: aprender-a-refletir-fazendo em contextos de prática do SUS

Internship in psychology: learn-reflect-making in practice settings

Mônica Ramos Daltro; Milena Pereira Pondé

Rev. Psicopedagogia 2017;34(104):169-179

Resumo PDF Português

O Brasil tem 49.412 psicólogos atuando no Sistema Único de Saúde (SUS). Isso desafia o ensino a deslocar-se de suas tradicionais estruturas, que privilegiam a clínica, para formar promotores de saúde. Parte de uma tese que compreende a psicologia como profissão de saúde, este estudo descreve o Internato, uma prática pedagógica assistida, na qual o professor responde como mediador numa perspectiva psicopedagógica. Esse estudo apresenta a percepção dos estudantes sobre a experiência de aprendizagem no Internato. Estudo descritivo, qualitativo, que analisou o conteúdo de 51 questionários de estudantes do 8º ao 10º semestre, pelo Método de Interpretação de Sentido. Os resultados são indicativos de 100% de satisfação frente à experiência e desenvolvimento de competências como atitude interdisciplinar, capacidade de atuar em equipe, comunicação, autonomia e maturidade, reveladoras de uma aprendizagem que integra atitude, conceito e técnica, respondendo às demandas das Diretrizes Curriculares e do SUS.

8 - Reflexões da mediação escolar para uma criança com mutismo seletivo

Reflections of school mediation for a child with selective mutism

Thereza Sophia Jácome Pires; Monica Dias Palitot; Giorvan Ânderson dos Santos Alves; Henrique Miguel de Lima Silva; Eduardo Lucas Sousa Enéas

Rev. Psicopedagogia 2017;34(104):180-188

Resumo PDF Português

O presente trabalho apresenta as questões relacionadas aos processos de interação social no ambiente escolar de uma criança com mutismo seletivo, descrevendo as etapas de desenvolvimento atingidas frente ao processo de interação. Para tal, descrevemos as características pertinentes ao Mutismo Seletivo (MS), que é definido como uma inabilidade na comunicação oral em função de ansiedade social, ainda que possua capacidade de expressão. A pesquisa aborda o relato de uma professora que acolheu em sua turma uma aluna diagnosticada com MS pelo período de 3 anos. Os dados foram obtidos por meio da aplicação de um questionário semiestruturado e analisados com base em pesquisas realizadas sobre o MS e o processo de interação social. A mediação do professor permite que o aluno desenvolva suas habilidades comunicativas quando são utilizadas abordagens que dão ênfase à compreensão do sujeito, respeitando os seus limites e identificado estratégias para estimular as competências linguísticas, cognitivas e sociais.

9 - Avaliação de preditores de risco para deficiência intelectual

Assessment of risk predictors for intellectual disabilities

Erlaine Chaves Machado Vieira; Silvyo David Araújo Giffoni

Rev. Psicopedagogia 2017;34(104):189-195

Resumo PDF Português

Avaliar preditores de risco pré, peri e pós-natais para a Deficiência Intelectual (DI). Foi realizada uma pesquisa documental retrospectiva de 2014 a 2015 dos preditores de risco pré, peri e pós-natais em 70 prontuários de pacientes de 8 a 19 anos diagnosticados com DI em duas escolas de educação especial no Estado de São Paulo. Os resultados foram significativos para os preditores de risco pré (antecedentes familiais e genéticos, idade materna avançada e uso de drogas e álcool) e pós-natais (lesão cerebral traumática, baixo peso ao nascer e crises neonatais). Já os fatores perinatais (prematuridade, lesão e distúrbios neonatais) foram expressivos inversamente proporcionais ao diagnóstico de DI. Preditores de risco pré e pós-natais apresentaram grande impacto no diagnóstico de DI na presente amostra.

Relato de Experiência

10 - Avaliação psicopedagógica – a leitura e a compreensão de textos como instrumentos de aprender

Psychopedagogical evaluation – Reading and understanding texts as tools of learning

Laura Monte Serrat Barbosa

Rev. Psicopedagogia 2017;34(104):196-2015

Resumo PDF Português

Este texto tem como objetivo mostrar que é possível modificar o foco da avaliação de um aprendiz que, por algum motivo, não corresponde aos critérios de avaliação da sociedade. Ao avaliar a aprendizagem, em vez de levantar dificuldades, é possível compreender o funcionamento de quem aprende para que possa tomar consciência de sua forma de aprender e desenvolver estratégias para superar dificuldades. Apresenta-se um dos trabalhos desenvolvidos em quase duas décadas, na Síntese – Centro de Estudos da Aprendizagem, a respeito da avaliação da leitura, utilizando um instrumento que foi construído por sua equipe de psicopedagogas, a partir do trabalho iniciado na década de 1990 por Geraldine Franco de Oliveira Miraglia. O instrumento criado e aperfeiçoado nesse período denomina-se Quebra-Cabeça de Texto e tem como uma de suas principais finalidades a reconstrução de um texto, observando-se indicadores linguísticos e, sobretudo, uma conversa com o aprendiz para entender como chegou àquele resultado, suas facilidades e dificuldades e o que compreendeu do texto. Trata-se de colocar o aprendiz em situação de leitura e observá-lo no desempenho da tarefa. O texto propõe a observação de critérios para análise do processo de leitura e a forma de organizar o material, para que essa forma de avaliar não artificialize o processo de leitura do aprendiz.

Artigo Especial

11 - Potencialidades de un modelo colaborativo para la apropiación de las TIC en un contexto de vulnerabilidad social

Potentialities of a collaborative model for the appropriation of ICT in a context of social vulnerability

Mónica Da Silva Ramos; Adriana Ornellas

Rev. Psicopedagogia 2017;34(104):216-227

Resumo PDF Português

El artículo presenta algunos de los resultados de una investigación que adaptó e implementó el modelo colaborativo Quinta Dimensión (5D) en un contexto de vulnerabilidad social de Uruguay. Se analizan las posibilidades y límites del modelo en los procesos de apropiación de las tecnologías de la información y la comunicación (TIC) en la infancia, en el marco de una investigación acción colaborativa entre universidad y comunidad. Se discute la importancia de la generación de una comunidad de práctica, que promueva una cultura participativa que habilite el surgimiento de vivencias significativas y procesos de aprendizaje, colaboración y creación mediados por las TIC.

12 - El reconocimiento del saber de la generación sénior

On the recognition of the knowledge of the senior generation

Maria Jesús Comellas

Rev. Psicopedagogia 2017;34(104):228-241

Resumo PDF Português

Se plantea un breve análisis de los múltiples cambios que se dan en totas las generaciones y en menor medida para la generación sénior a la que se le continúan atribuyendo roles y actividades con una mirada anacrónica lo que comporta que en los diferentes sectores sociales se tengan intereses e imágenes diferentes: apoyo y cuidado de los nietos y nietas en el entorno familiar; generación destinataria para el consumo de las ofertas de ocio y tecnología; apoyo en tareas de voluntariado y, finalmente, grupo destinatario de las acciones que realizan los servicios sanitarios para lograr una mayor calidad de vida. Se evidencia el sesgo de las propuestas con las consiguientes interpretaciones y discriminaciones que no disminuyen los estereotipos vinculados a la edad ni abren oportunidades nuevas. Se expone el marco teórico que sustenta el proyecto "Construcción de conocimiento a partir de relaciones multigeneracionales" y se muestra la investigación que se ha realizado, partiendo del análisis de caso, siguiendo los parámetros de la metodología Investigación Acción Participativa. Se analiza el proceso seguido con la participación de las tres generaciones: alumnado, profesorado y generación sénior. Finalmente se evidencia el valor del proyecto con la valoración cualitativa de las tres generaciones.